top of page
Rechercher
  • Photo du rédacteurRita

Abril 2023...

“Procura encontrar o que há de melhor numa pessoa, e diz-lhe isso. Todos nós precisamos deste tipo de estímulo; cada vez que o meu trabalho é elogiado, torno-me mais humilde, porque não me sinto ignorado ou indesejado. Toda a gente possui alguma coisa que merece ser elogiada. Elogios significam compreensão. Somos excelentes seres humanos no nosso íntimo, e ninguém é melhor do que os outros; aprende a ver a grandeza do teu próximo, e verás também a tua própria grandeza.

Khalil Gibran

Queridos alunos e amigos ✨, Em ABRIL, teremos mudanças no Padma Yoga Shala🌿🌸. O horário da manhã vai sofrer algumas alterações durante a Primavera🌸🌿 (sim, o espaço vai funcionar cada vez mais de acordo com os ritmos da Natureza. Já pensaram experimentar fazer o mesmo?). A partir de ABRIL e provavelmente até ao final de Junho, até à chegada do Verão☀️ (vejam isto como uma “experiência sazonal”, para já…😉), o Shala🌿🌸 voltará a estar ABERTO a partir das 6h30, desta vez, para os alunos que queiram fazer a sua auto-prática ou chegar um pouco antes da aula começar. Depois da minha prática pessoal, estarei a ensinar, transmitir e partilhar com o Coração aberto, entre as 8h00 e as 10h00, às segundas, terças, quintas e sextas-feiras. A última entrada deve fazer-se até às 9h00. Às quartas-feiras, como até agora, não haverá aula, apenas auto-prática para os alunos que desejem praticar no Shala🌿🌸. Assim, recomenda-se a chegada o mais tardar até às 8h30, para uma maior probabilidade de encontrar a porta ainda aberta.

 


 

Este mês de ABRIL, teremos novamente 4 dias “diferentes”.

Na quinta-feira, 06/04, teremos novamente duas sessões de prāṇāyāma e de yoganidrā, uma de manhã e outra à tarde. De manhã, prāṇāyāma entre as 8h30 e as 9h15, yoganidrā entre as 9h15 e as 10h00. À tarde, prāṇāyāma entre as 17h30 e as 18h15, yoganidrā entre as 18h15 e as 19h00.

Podem vir a uma ou mais sessões, segundo a vossa vontade e disponibilidade, porque há espaço para todos, mas peço-vos que respeitem os horários anunciados e não entrem ou saiam a meio de uma sessão, para não perturbar o funcionamento da mesma ou interferir com o campo energético dentro do Shala🌿🌸. Para ambas as sessões, convém trazer roupa quente e confortável e uma manta, para não sentirem frio e poderem desfrutar plenamente do momento de relaxamento.


 

No feriado de sexta-feira, 07/04, o Shala🌿🌸 estará

ENCERRADO.


 

Na quinta-feira, 20/04, temos duas sessões de prāṇāyāmae de dhyāna, uma de manhã e outra à tarde. De manhã, prāṇāyāma entre as 8h30 e as 9h15, dhyāna entre as 9h15 e as 10h00. À tarde, prāṇāyāma entre as 17h30 e as 18h15, dhyānaentre as 18h15 e as 19h00.

Mais uma vez, podem vir a uma ou mais sessões, segundo a vossa vontade e disponibilidade, porque há espaço para todos, mas peço-vos que respeitem os horários anunciados e não entrem ou saiam a meio de uma sessão, para não perturbar o prāṇāyāma ou a meditação (dhyāna). Se forem friorentos, convém trazer roupa quente e confortável e uma manta, para não sentirem frio.


 

Na terça-feira, 25/04, é feriado novamente, Dia da Liberdade, o que nos daria um belo tema para uma Conferência, tendo em conta que o objectivo do Yoga é precisamente mokṣa, a Libertação… Mas como não tenho a certeza que apareceria alguém para me ouvir falar de todas estas coisas (outra vez… 🙄😉), vamos simplesmente ter uma aula Mysore Style, de manhã, entre as 8h00 e as 10h00.

À tarde não haverá aula.


Todas estas e outras informações podem ser encontradas aqui. As inscrições encontram-se novamente abertas, a partir de Abril, dentro do limite das vagas disponíveis. Mais informações aqui.


 


 

Gostaria de agradecer a todos aqueles que estiveram presentes pelo meu aniversário no início do mês, assim como a todos os que participaram na celebração do Equinócio de Primavera🌸 no Padma Yoga Shala🌿🌸, trazendo uma flor para enfeitar o nosso espaço (e também a todos os que fazem questão de continuar a celebrar esta estação, já que ela só termina na terça-feira, 20 de Junho e o espaço fica mais bonito quando está florido!😉)!! O meu Coração fica cheio, com estes momentos e actos de partilha e gostaria que soubessem que a minha Vida é muito mais Bela e Plena, graças à vossa Presença, Amizade e Carinho!

A todos, muito obrigada!


Isto é o que vos desejo:

Conforto para os dias difíceis,

sorrisos quando a tristeza se intromete,

arco-íris a seguir às nuvens,

riso para beijar os vossos lábios,

pores do sol para aquecer o vosso coração,

abraços quando os espíritos enfraquecem,

beleza para os vossos olhos verem,

amizades para alegrar o vosso ser,

fé, para que possam acreditar,

confiança para quando tiverem dúvidas,

coragem para se conhecerem a vós próprios,

paciência para aceitar a verdade,

Amor para completar a vossa vida.

Ralph Waldo Emerson


 

Em Abril, a grande “novidade” é o regresso ao horário matinal original do Shala🌿🌸, mas agora para auto-prática.

Durante a minha primeira viagem à Índia em 2017, numa altura em que a minha vida parecia estar sob a influência de um ciclone que devastou tudo o que eu pensava que eu era, para que pudesse finalmente começar a emergir aquilo que realmente SOU, foi a partir do “olho da tempestade”, a partir da Neutralidade que só se encontra no Ponto Zero, fora do Tempo e do Espaço, que o Padma Yoga Shala🌿🌸 iniciou a sua manifestação, numa co-criação harmoniosa com o Divino dentro do meu Coração.

Primeiro em planos subtis, onde toda a sua estrutura e arquitectura foram concebidas até ao mais ínfimo detalhe. Foi ainda na Índia que declarei que o Padma Yoga Shala🌿🌸 seria um espaço grande, no centro de Ponta Delgada, com estacionamento próximo e, se possível, fácil. Seria um espaço luminoso, com imensas janelas e uma vista desobstruída (perfeita se permitisse ver o mar, mesmo se entretanto optei por raramente abrir os estores, de forma a criar um “casulo protector”, que nos protegesse da crescente insanidade do mundo exterior, que pudemos testemunhar ao longo dos últimos três anos… Talvez em breve receba finalmente a indicação de que é tempo para voltar a abri-los…). Seria um espaço com um chão de madeira e vida, muita Vida, acolhendo com igual benevolência o Reino Mineral, Vegetal e Animal. Nesse espaço, poderia então recriar o ambiente de estudo e prática que estava a viver na Índia, onde o Yoga, e também o Vedanta, seriam abordados na sua globalidade, e onde cada um dos oito membros do Aṣṭāṅgayoga seria transmitido, ensinado e praticado com o mesmo interesse e dedicação. E as aulas começariam bem cedo pela manhã, antes do raiar da Bela Aurora, com os Sūryanamaskāra (सूर्यनमस्कार - saudação ao Sol)... ☀️✨

Yogasūtra II.29

यमनियमासनप्राणायामप्रत्याहारधारणाध्यानसमाधयोऽष्टावङ्गानि॥२९॥

yama niyama-āsana prāṇāyāma pratyāhāra dhāraṇā dhyāna samādhayo-‘ṣṭāvaṅgāni ॥29॥


« Yama (Refreamentos), Niyama (Observâncias), Āsana(Postura), Prāṇāyāma (Disciplina do Sopro), Pratyāhāra(Recolher dos sentidos), Dhāraṇa (Concentração), Dhyāna(Meditação) e Samādhi (Ênstase) são os oito membros do yoga



 

A maioria das vezes, quando partilhava com outras pessoas o que estava a ver e criar noutros planos mais subtis demanifestação, recebia de volta um olhar arregalado e um sorriso trocista, seguido muitas vezes de um firme e definitivo “isso não existe no centro de Ponta Delgada”… Mas quando estamos firmemente estabelecidos em satya (सत्य), a Verdade, alinhados com o nosso svadharma, com o nosso dever pessoal, às Leis Universais e ao Dharma, a Ordem Cósmica, e nos dedicamos de corpo e alma a agir de forma justa e correcta para manifestar aquilo que o nosso Coração reconhece como sendo a próxima etapa do nosso Caminho Orgânico de Evolução Espiritual, no momento certo e dentro do Tempo Divino, por muita oposição, obstáculos ou interferências que possam surgir ao longo do percurso, aquilo que “já é” nos outros planos mais subtis, não pode senão manifestar-se igualmente no mundo material! E assim, acabou por se revelar que o espaço físico que viria a acolher o Padma Yoga Shala🌿🌸, não só existia, como também estava à minha/nossa espera!

🙏🧘‍♀️☀️🧘‍♂️🙏 Yogasūtra II.36 सत्यप्रतिष्ठायां क्रियाफलाश्रयत्वम्॥३६॥ satya-pratiṣthāyaṁ kriyā-phala-āśrayatvam ॥36॥

« O resultado corresponde à acção para aquele que está firmemente estabelecido na verdade


 

Nesse horário matinal, a prática de āsana (आसन) poderá ser encarada como uma ferramenta de higiene básica (como tomar um duche, lavar os dentes, limpar a bexiga e o intestino, assoar o nariz…), sendo que assim, cada manhã, lavamos o nosso corpo não só exteriormente, mas também interiormente, tomamos consciência da nossa respiração e das nossas reservas de energia vital e, se possível, enchemos os nossos reservatórios de prāṇa (प्राण), o que nos permitirá lidar melhor com todas as situações que nos serão apresentadas ao longo do dia. Acalmamos a mente, reconhecendo as suas flutuações e agitações (vṛtti वृत्ति), acumuladas da véspera e também ao longo das nossas eventuais “batalhas nocturnas” (às vezes, tão mais intensas do que as que vivemos durante o dia…). Cessar esses vṛtti, esses movimentos da consciência, é a finalidade do Yoga, pois só assim poderemos criar as condições necessárias para reconhecer a nossa Verdadeira Essência Divina e alcançar então mokṣa (मोक्ष), a Libertação da Consciência e do ciclo de reincarnações (saṃsāra संसार).

Yogasūtra I.2 योगश्चित्तवृत्तिनिरोधः॥२॥ yogaś cittavṛttinirodhaḥ ॥2॥

«O Yoga é a paragem dos movimentos da consciência [da agitação existencial].»

Yogasūtra I.3 तदा द्रष्टुः स्वरूपेऽवस्थानम्॥३॥ tadā draṣṭuḥ svarūpe ‘vasthānam ॥3॥

«Então, “o princípio de consciência” estabelece-se na sua verdadeira natureza.»



 

Mesmo se o Yoga pode ser visto, compreendido e praticado apenas como uma ferramenta de bem-estar e qualidade de vida (o que não tem problema absolutamente nenhum, cada vive a experiência ao nível das suas próprias necessidades, vibração e frequência de Alma e de Coração e estas são efectivamente manifestações que poderiam ser consideradas “efeitos secundários” da prática de āsana!), não é dessa forma que esta Filosofia, Método, Prática e Objectivo se manifestam na minha Vida e no meu Caminho Espiritual, por isso é normal que a forma como o vivo, pratico, partilho e ensino, sejam o resultado das minhas próprias integrações e experiência pessoal… Dito isto, tenho plena consciência que todos somos diferentes, que cada um acolhe apenas aquilo que está pronto para receber, num momento específico do seu próprio percurso, por isso, enquanto professora, vou adaptando a cada instante e a cada indivíduo a transmissão dos ensinamentos, para que possam ser ouvidos, compreendidos e integrados por cada um de vós, respeitando o vosso próprio ritmo e caminho pessoal de desenvolvimento e evolução, de forma a que o que transmito, possa efectivamente ser benéfico para a vossa prática e a vossa vida.

Ensina o que está dentro de ti, não como se aplica a ti, a ti próprio, mas como se aplica ao outro. Tirumalai Krishnamacharya



 

E assim, ao fim de dois anos, depois de muito esforço a nível pessoal e familiar, assim como uma certa incompreensão e frustração por não conseguir manifestar no exterior, aquilo que já vivia interiormente dentro do meu Coração, apesar de ter a íntima convicção que “isto” era algo que estava em acordo com o Dharma, com o meu svadharma e com o próprio método e processo do Yoga, tive de me render à evidência de que estava a impor, pela força e pelo ego, a minha vontade pessoal à Vontade Divina e não estava, assim, a respeitar o Tempo Divino de criação e manifestação.

Os dois guerreiros mais poderosos são a paciência e o tempo. Lembre-se de que as grandes realizações levam tempo

e de que não há sucesso da noite para o dia. Leon Tolstói


 


Perfeitamente enraizada em tapas (तपस् - esforço sobre si mesmo, disciplina) e em svādhyāya (स्वाध्याय - estudo de si mesmo, através do estudo dos textos sagrados e da recitação de mantra), estava a desleixar a tão importante prática de īśvarapraṇidhāna (ईश्वरप्रणिधान - que é a entrega ao Absoluto/Deus ou o dom de si mesmo, a “oferenda de todas as suas acções a Deus”) e as minhas acções não estavam a ser o reflexo da Verdadeira Essência do Yoga, da União com o Divino, da no Plano Divino de Libertação da Consciência para Todos, facilitada pelo samādhi (समाधि - meditação profunda/ênstase), que nos vai libertando da influência dos kleśa (क्लेश) e, consequentemente, do próprio sofrimento associado à condição humana, enquanto nos encontramos sob a influência e o controlo das flutuações da mente (vṛtti वृत्ति)…

Yogasūtra II.1 तपःस्वाध्यायेश्वरप्रणिधानानि क्रियायोगः॥१॥ tapaḥ svādhyāy-eśvarapraṇidhānāni kriyā-yogaḥ ॥1॥

« A austeridade, o estudo de si [através das Escrituras Sagradas] e o abandono dos frutos das suas acções a Īśvaraconstituem o Kriyā Yoga. » Yogasūtra II.2 समाधिभावनार्थः क्लेशतनूकरणार्थश्च॥२॥ samādhi-bhāvana-arthaḥ kleśa tanū-karaṇa-arthaś-ca ॥2॥

« Os objectivos são o aparecimento progressivo do estado de samādhi e a redução das causas do sofrimento. »


 

Aquilo que inicialmente poderia parecer uma desistência, foi na realidade um alinhamento à Ordem Cósmica e ao Tempo Divino, um implementar de uma estratégia a longo prazo, capaz de me permitir de Preservar e Conservar a minha energia pessoal, para poder concretizar então a Vontade Divina, no momento certo, independentemente do tempo que fosse necessário para isso (se eu tivesse imaginado nessa altura o que ainda estava para vir a partir de Março de 2020, é certo que as probabilidades de verdadeiramente desistir, teriam sido muito, mas muito maiores… 🙄😒🥴). Hoje, ao olhar para trás, não posso senão concluir que fiz o melhor que pude, mas também que fui teimosa e obstinada, porque realmente a maioria dos alunos simplesmente não estava pronta para tal coisa… Só o facto de imaginar sair da cama tão cedo, já era um sacrifício… Agora parece-me que já fizemos um pouco mais de caminho, já progredimos um pouco em autonomia e disciplina e, portanto, mesmo se muitos ainda criarão resistência a uma transformação profunda na forma como vivem a sua prática de Yoga no dia a dia, sinto que é a altura certa para voltar a tentar a experiência, mas de uma forma um pouco diferente, ou seja, em auto-prática.

O yoga é um processo de substituição de padrões antigos, por padrões novos e mais apropriados. Tirumalai Krishnamacharya



 

Eu estarei a fazer a minha prática pessoal no Shala🌿🌸 todos os dias a partir das 6h30 e, como a maioria de vós já é bem mais autónoma e disciplinada que no momento da inauguração espaço, já não precisa tanto do meu auxílio com os Sūryanamaskāra (सूर्यनमस्कार - saudação ao Sol) ou mesmo as posturas iniciais de pé (também se estiverem aflitos, eu dou um jeitinho!😉), saibam que se quiserem fazer a vossa auto-prática, podem fazê-lo a partir dessa hora. Se ocasionalmente precisarem de antecipar a vossa chegada para assistir à aula, de forma a sair mais cedo, também podem fazê-lo. Há certos dias em que não pratico e, por essa razão, talvez não abra a porta tão cedo (logo veremos como evolui a experiência). Assim, todos os corajosos que já estão a imaginar-se ir praticar de manhã bem cedinho (🔥🥰), é importante que me comuniquem a vossa intenção de aparecer, mesmo que seja só de vez em quando, para que possa prevenir-vos com antecedência dessas datas e para que não batam com o nariz na porta…

A gente não se liberta de um hábito atirando-o pela janela:

é preciso fazê-lo descer as escadas, degrau por degrau. Mark Twain

 


Como de costume, nem todos vão ressoar com esta nova abertura e possibilidades que se criam igualmente na vossa própria prática de Yoga e no vosso próprio percurso de Conhecimento de Si, através da forma como manifesto o meu próprio svadharmadentro do Padma Yoga Shala🌿🌸. Como de costume, cada um de vós acolherá apenas aquilo que ressoa com o vosso Coração e que é benéfico para o vosso caminho e desenvolvimento pessoal e espiritual. Somos todos diferentes e todos temos diferentes experiências de vida, disponibilidades e desafios quotidianos para gerir no nosso dia-a-dia. No entanto, há algo que nos pode ajudar a compreender melhor se realmente esta é uma experiência que queremos tentar, para perceber melhor se é efectivamente uma nova etapa na nossa evolução espiritual, se ainda não é o momento certo e é algo que virá mais tarde, ou se, simplesmente, não é de todo para nós. Esse algo consiste simplesmente em encontrar, dentro do vosso Coração, a resposta a algumas questões essenciais(porque já sabem que a Verdade vem sempre de dentro para fora, não sabem?), como :

Yogasūtra I. 12 अभ्यासवैराग्याभ्यां तन्निरोधः॥१२॥ abhyāsavairāgyābhyāṁ tannirodhaḥ ॥12॥ « A paragem das agitações mentais obtém-se através da prática constante (perseverante) [do Yoga] e do desapego.»

Mas e eu, porque é que eu pratico Yoga?

 

Yogasūtra II.2 समाधिभावनार्थः क्लेशतनूकरणार्थश्च॥२॥ samādhi-bhāvana-arthaḥ kleśa tanū-karaṇa-arthaś-ca ॥2॥

« Os objectivos [do Kriyā Yoga] são o aparecimento progressivo do estado de samādhi e a redução das causas do sofrimento. »

Mas e qual é o meu objectivo ao implementar esta Filosofia e esta Prática na minha vida?


 

Yogasūtra I.14 स तु दीर्घकालनैरन्तर्यसत्कारासेवितो दृढभूमिः॥१४॥ sa tu dīrghakālanairantaryasatkārādarāsevito dṛḍhabhūmiḥ ॥14॥

« Ela [a prática constante] só encontra uma base sólida, se acompanhada de uma duração prolongada, sem interrupções e se for realizada com dedicação e zelo. »

O que estou disposto(a) a investir de mim mesmo(a), do meu tempo, da minha energia pessoal e da minha concentração, com fé, dedicação, mas também desapego, para sentir todos os benefícios da prática de Yoga?

 

Yogasūtra I.22 मृदुमध्याधिमात्रत्वात् ततोऽपि विशेषः॥२२॥ mṛdumadhyādhimātratvāt tato ’pi viśeṣaḥ ॥22॥

« Uma especificidade [existe] ainda devido aos lentos, moderados e intensos [natureza dos meios empregues]. »

Tenho realmente consciência que, no Yoga como na Vida, tudo é questão de equilíbrio entre dar e receber e que os resultados obtidos serão sempre (a curto, médio e/ou longo prazo) uma consequência da minha própria entrega pessoal?

 

Yogasūtra I.30 व्याधिस्त्यानसंशयप्रमादालस्याविरतिभ्रान्तिदर्शनालब्धभूमिकत्वानवस्थितत्वानि चित्तविक्षेपास्तेऽन्तरायाः॥३०॥ vyādhistyānasaṃśayapramādālasyāviratibhrāntidarśanālabdha-bhūmikatvānavasthitatvāni cittavikṣepās te ‘ntarāyāḥ ॥30॥

« A doença, a inércia mental, a dúvida, a precipitação, a preguiça, a intemperança, o erro de julgamento sobre si mesmo, a falta de progresso, a regressão são os obstáculos, causas de dispersão psíquica. »

Como ajo ou reajo, quando confrontado(a) aos diversos (e infelizmente inevitáveis…) obstáculos que vou encontrando pelo caminho?

 

Yogasūtra I.21 तीव्रसंवेगानामासन्नः॥२१॥ tīvrasaṁvegānām āsannaḥ ॥21॥

« O êxito pertence àqueles cujo impulso é impetuoso. »

Até ponto consigo verdadeiramente reconhecer o meu Poder Criador e Capacidade de Manifestação da minha realidade, de forma a criar a melhor versão de mim mesmo(a) na minha relação comigo mesmo(a), com os outros, com a Natureza à minha volta?



Todas estas questões já foram por mim exploradas muitas vezes, nomeadamente aqui, há bastante tempo atrás, naquilo que hoje me parece ter sido uma outra vida Enquanto todo o nosso Ser não tiver plenamente integrado e encarnado todas as nossas motivações, que não podem senão brotar de dentro do nosso Coração, as dúvidas continuarão a surgir, assim como uma maior probabilidade e quantidade de eventuais obstáculos, interferências e desvios no nosso Caminho Pessoal Orgânico… Até que, finalmente, a Verdade(satya सत्य) sobre Quem Realmente Somos, assim como o Que Fazemos Aqui, se manifeste de dentro para fora! A partir desse momento, podemos finalmente tomar a decisão, de forma consciente, definitiva e inalterável e de acordo com o nosso Livre-Arbítrio, sobre onde (ou o quê, ou quem…) colocamos a nossa Intenção, o nosso Consentimento e a nossa Autoridade… E, nesse instante, nada, absolutamente mais nada, poderá parar-nos no nosso impulso de realinhamento à nossa Verdadeira Essência e Natureza Divina!

“Energia é o que estica o arco. Decisão é o que larga a flecha.” Sun Tsu



Escultura de VALÉRIE HADIDA "PETITE AUTOMNE" – BRONZE – 38 X 27 X 14 CM


 

A minha Intenção, o meu Consentimento e a minha Autoridade encontram-se em Deus, na Fonte Divina Criadora, na Consciência Crística Cósmica e Universal apenas. As fundações de tudo o que constitui o meu Ser Multidimensional, assentam no respeito e na prática das Leis Universais, do Dharma, da Lei do Karma, na prática quotidiana dos oito membros do Aṣṭāṅga Yoga e, em particular, nas suas regras éticas e morais prescritas pelos Yama, assim como de disciplina pessoal, que são os Niyama, que me permitem relacionar-me de forma respeitadora, harmoniosa e saudável comigo mesma, com os outros e com o mundo que me rodeia.


É curioso que no mundo, a coragem física seja tão comum,

e a coragem moral, tão rara. Mark Twain

 

Pelo Respeito e Amor que tenho pelo meu veículo físico, já que é ele que me permite realizar a minha Missão de Vida durante esta encarnação, pratico āsana (आसन - postura) quotidianamente, para que o meu corpo possa manter-se tão forte, tão flexível e tão saudável quanto possível, durante o tempo que me for concedido nesta vida.

“Se você não é seu próprio médico, você é um tolo.” Hipócrates

 

Para que os meus níveis de energia possam chegar para tudo o realizo no dia-a-dia e me permitam ser funcional, tanto na minha vida pessoal e familiar, como quando estou ao Serviço do Yoga, dentro ou fora do Shala🌿🌸, permitindo-me manter simultaneamente um nível de consciência elevado e os pés bem assentes no chão, é indispensável que consiga manter-me atenta e consciente da minha respiração e das minhas reservas de energia vital, assim como da minha ligação ao Divino dentro do meu Coração. É também através da minha prática que estimulo essa capacidade para expandir a energia vital.

Inspira, e Deus aproxima-se de ti. Retém a inspiração, e Deus permanece contigo. Expira, e aproximas-te de Deus. Retém a expiração, e rende-te a Deus. Tirumalai Krishnamacharya

 

Para que possa dominar os vṛtti (वृत्ति - agitações mentais e existenciais), em vez de me deixar controlar por eles, para que a minha mente possa ser uma ferramenta, mais uma vez, ao Serviço do meu svadharma (dever pessoal), em vez de ser uma fonte de distracção e de sofrimento, não posso senão recolher os meus sentidos sempre que possível e concentrar-me sobre todas as mensagens e sinais que são enviados ao corpo e à mente em permanência, para melhor perceber se vêm de forma orgânica através do meu Coração, da minha Intuição, da minha Alma e Consciência Superior, ou se vêm de forma inorgânica através da influência dos kleśa (क्लेश - causas de sofrimento), ou seja, da ignorância, do ego, dos apegos, repulsas e do medo, que na maioria das vezes, se manifestam principalmente a partir do corpo mental (mesmo se o corpo sofre igualmente e inevitavelmente, as consequências…). Só através do silêncio da meditação (ध्यान dhyāna) consigo ouvir o pulsar do Universo e sintonizar o meu Coração com essa Frequência e Vibração

Para compreender o coração e a mente de uma pessoa, não olhe para o que ela já conseguiu, mas para o que ela aspira. Khalil Gibran



 

Para mim (e para vocês pode ser completamente diferente e está tudo bem assim!), tudo isto é justificação suficiente para que acorde muito, muito, muito cedo. Não vos digo a que horas, porque o meu objectivo é inspirar-vos a alcançar a Expressão mais Elevada da vossa Alma e não criar possibilidades de comparação, que podem eventualmente desmotivar-vos ou levar-vos a desistir, por acharem que é demasiado difícil ou mesmo impossível para vocês. Gostaria que se lembrassem que todos somos diferentes e que, muitas vezes, quando começamos a comparar-nos com os outros, perdemo-nos e anulamo-nos ao longo desse processo que, na realidade, nunca brota de dentro do nosso Coração… Por favor, verifiquem que isso não acontece em momento algum, pois é essencialmente através da nossa Diversidade que poderemos alcançar a Consciência de Unidade

Iluminação é quando a onda realiza que é o Oceano. Thich Nhat Hanh

 

Para mim, e para vocês talvez não ressoe de todo, tudo isto justifica que o meu dia comece com orações e com meditação e que esteja pronta para a minha prática de āsana, em cima do meu tapete, o mais tardar às 6h30. Para mim, tudo isto justifica que a recitação de mantra (मन्त्र) se intercale com momentos de silêncio ao longo do dia, mas que a Concentração e a Meditação, sejam uma constante na minha vida quotidiana, adaptada obviamente ao que esta vida exige de mim quotidianamente.

O corpo beneficia do movimento, e a mente beneficia da quietude. Sakyong Mipham

 

Para mim, e talvez só para mim, tudo isto justifica o facto de o fazer há quase vinte anos e, apesar das necessárias adaptações e inevitáveis evoluções, à medida que as dificuldades e obstáculos iam surgindo, assim como a minha Consciência se ia expandindo, de o ter feito, quer vivesse sozinha ou acompanhada, durante a primeira gravidez, enquanto amamentava, grávida do segundo filho, amamentando novamente e com dois filhos pequenos, enquanto vivia uma vida confortável de um ponto de vista material e financeiro, mas também quando a minha vida deu a volta e perdi não só esse conforto, mas fiquei claramente numa posição altamente desconfortável e quase de sobrevivência quotidiana… Fi-lo enquanto tinha uma vida social activa e continuei a fazê-lo quando todo o meu Ser começou a pedir por solitude e reclusão. Fi-lo em momentos de estabilidade e integridade física, psicológica e emocional e fi-lo ainda com mais dedicação e afinco, quando estava com dor ou em sofrimento, mais uma vez, físico (coitadinho do pescoço, da minha bacia, do meu joelho e tudo o mais que já nem sequer me lembro 🙄🫤…), psicológico (tantas vezes que pensei que não conseguiria encontrar a Coesão, a Lógica e a Luz necessárias para que tudo continuasse a fazer sentido…), emocional (ainda hoje me surpreendo com a Força e Coragem que cada Ser Humano tem dentro do seu Coração, para enfrentar todas as atrocidades e injustiças a que vai sendo submetido ao longo de toda a sua vida, desde que nasce, até morrer…) e espiritual (sim, porque apesar de hoje ter plenamente consciência que não estou sozinha nesta “aventura” e que sou altamente Protegida, Apoiada e Auxiliada na minha Missão de Vida, tanto neste plano, como em planos mais subtis, a maior parte da minha vida e do meu percurso espiritual foi bastante solitária e muitas, muitas, muitas foram as vezes, em que me senti sozinha e incompreendida neste mundo materialista…). Fi-lo tempo suficiente, com regularidade e perseverança suficientes, para ter a certeza absoluta de que não voltarei a duvidar da razão pela qual o faço cada dia e, de todo o meu Coração, toda a minha Alma, todo o meu Ser, é essencialmente isso que desejo a cada um de vós, neste caminho de auto-Conhecimento, do Aṣṭāṅga Yoga e da Libertação da Consciência! Que possam descobrir um dia, no momento certo e de acordo com a Ordem Cósmica e a Vontade Divina, “Quem São?” e “Que Fazem Aqui?”

Os dois dias mais importantes da sua vida são o dia em que você nasceu e o dia em que descobre porquê. Mark Twain



 

A partir desse instante, tudo o resto, absolutamente tudo, simplesmente flui de forma natural e orgânica, a nossa vontade pessoal dando lugar, de forma definitiva e permanente, à Vontade Divina e ao Plano Divino, permitindo-nos…

SIMPLESMENTE SER!

Seja tão simples quanto conseguir; ficará surpreendido ao ver até que ponto a sua vida pode tornar-se descomplicada e feliz. Paramahansa Yogananda

 

ॐ भूर्भुवः स्वः । तत्सवितुर्वरेण्यं । भर्गो देवस्य धीमहि धियो यो नः प्रचोदयात् ॥ Oṁ bhūr bhuva svāḥ || tat savitur vareṇyam | bhargo devasya dhīmahi | dhiyo yo naḥ pracodayāt || Oṁ. Contemplemos o esplendor do divino Sol vivificante,[invariavelmente] presente na terra, na atmosfera e no céu. Que ele ilumine a nossa visão.”


 

Como sempre, deixo-vos a minha mais profunda e sincera GRATIDÃO pela vossa leitura e atenção e peço-vos que, como de costume, acolham apenas o que ressoa convosco e coloquem de parte tudo o resto!! Com todo o meu AMOR e REVERÊNCIA, desejo-vos coragem, bons questionamentos e boas práticas… Dentro e fora do tapete! Para que um dia, possamos ver no mundo, a mudança que ocorre em nós através do Yoga!

Namaste 🙏💜✨ Rita


 

ॐ लोकाः समस्ताः सुखिनो भवन्तु

ॐ शान्तिः शान्तिः शान्तिः॥

Oṁ lokā samastā sukhino bhavantu

Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ

Oṁ

Que todos os seres, em todos os lugares, sejam felizes.

Que haja Paz, Paz, Paz.



Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.
bottom of page