top of page
Rechercher
  • Photo du rédacteurRita

Dezembro 2023

Milhões de pessoas nunca se analisam a si próprias. Mentalmente, são produtos mecânicos da fábrica do seu ambiente, preocupados com o pequeno-almoço, o almoço e o jantar, trabalhando e dormindo, e indo aqui e ali para se divertirem. Não sabem o que procuram, nem porquê, nem porque nunca alcançam a felicidade plena e a satisfação duradoura. Fugindo à auto-análise, as pessoas tornam-se robôs, condicionados pelo seu ambiente. A verdadeira auto-análise é a maior arte do progresso.

Paramahansa Yogananda

Queridos alunos e amigos ✨,

Em DEZEMBRO, o Shala🪷🍃 estará ENCERRADO entre o Natal🎄 e o Ano Novo✨ e as aulas retomam na terça-feira, 02/01/2024. Daqui até ao Natal, os horários mantém-se inalterados, tanto de manhã como à tarde.

Apenas na Terça-feira, 12/12, o Shala🪷🍃 estará ENCERRADO de manhã, mas à tarde, temos encontro marcado entre as 17h30 e as 19h00, para um pouco de conversa (satsaṅga), respiração consciente (prāṇāyāma प्राणायाम) e meditação (dhyāna ध्यान), para aqueles que sentem o apelo de estar presentes nestes encontros que abordam as outras facetas do Yoga, além do āsana (posturas आसन).

Relembro que o Padma Yoga Shala🪷🍃 está ENCERRADO às sextas-feiras, fins-de-semana e alguns feriados.

🧘‍♀️💜🧘‍♂️


 


 

MUITO IMPORTANTE

Por favor, verifiquem sempre, quando entram ou saem do Shala🪷🌿, que a porta do prédio fica FECHADA. Isto é particularmente importante nos dias de muito vento, em que a porta tem tendência a não fechar completamente... Verifiquem também, por favor, que a porta do primeiro andar, onde deixam os sapatos, não fica trancada depois de entrarem!! 🙏 💜 !! Muito Grata !! 💜 🙏


 


A maioria das pessoas tem um vazio dentro de si, porque estão demasiado ocupadas a desperdiçar a sua energia vital criativa para se projectarem como sendo isto ou aquilo - dedicando as suas vidas a atualizar um conceito de como deveriam ser, em vez de actualizarem a sua sempre crescente potencialidade como seres humanos.

Bruce Lee


Nesta época de final de ano, enquanto alguns andam distraídos com as festas, os presentes, as músicas de Natal em cada esquina e canto de rua (não há como fugir à Mariah Carey, valha-nos o facto de sermos abençoados pelo domínio de pratyāhāra (प्रत्याहार) durante esta época natalícia! 😉😂), outros dedicam uma parte importante do seu tempo a fazer um balanço sobre os 12 meses que passaram e a forma como os viveram. É um exercício que pode ser bastante benéfico, se for feito com sinceridade, autenticidade e humildade, olhando para as coisas como elas realmente são, em vez de como gostaríamos que fossem ou, neste caso, como gostaríamos que tivessem sido. Por muito difícil, complicada ou dolorosa (duḥkha दुःख) que nos possa parecer por vezes a Vida, através deste primeiro passo manifestado sob a forma de exercício de auto-questionamento e de auto-análise, ao juntarmos as peças deste “puzzle” que somos enquanto seres multimensionais, torna-se mais fácil reconhecer as nossas feridas, fraquezas ou vulnerabilidades (assim como as nossas forças!). Quando finalmente identificamos aquilo que nos faz reagir (em vez de agir) ou perder o nosso centro e a nossa Paz interior, podemos então iniciar um processo de cura profunda (a nível físico, mental, emocional, energético e espiritual) e começar a libertar tudo o que entrava esse processo ou nos impede de sermos nós mesmos, sem máscaras ou falsas aparências, estabelecendo assim novas prioridades, delineando novos caminhos, criando novos paradigmas, mais adaptados e em alinhamento com as verdadeiras aspirações da nossa Alma

Bendita seja a crise que te fez crescer, a queda que te fez olhar para o céu e o problema que te fez procurar Deus.

Padre Pio de Pietrelcina



 

Quem já me conhece, sabe que gosto mais de fazer este “balanço anual” no momento do meu aniversário (mas “qualquer altura” é boa e melhor do que “nenhuma altura”, já se sabe…) e, quem me conhece melhor ainda, sabe que faço igualmente um “balanço mensal” na transição entre cada mês e um “balanço quotidiano” cada dia, antes de dormir, através de um momento dedicado a anotações e escrita intuitiva no meu “diário espiritual” (considero este tempo de escrita e de auto-análise, um dos muitos privilégios de não ter televisão!☺️). Para mim, nunca se trata propriamente do que realizei ou do que tenho ainda para realizar, mas sim do que “fui”, do que “sou” e do que posso “vir a ser” a partir daí, através do conhecimento acumulado pelas experiências vividas, transformado em Sabedoria. Para que isso possa acontecer, é preciso que me autorize a escutar atentamente o que me diz a Vontade Divina e a Ordem Cósmica (Dharma धर्म) em cada evento da minha vida, e também que coloque a intenção de manter a autenticidade e humildade necessárias a cada instante, para que essa Sabedoria possa ser plenamente integrada e acolhida com Gratidão dentro do meu Coração e em cada um dos meus diferentes envelopes (kośa कोश), físico, mental, emocional, energético e espiritual… Na minha opinião, a chave do sucesso deste processo de auto-análise, reside na nossa capacidade a entregarmo-nos a ele sem julgamentos nem expectativas, com sinceridade e humildade e, acima de tudo, bem enraizados no Amor, na Compaixão e no Perdão, sem qualquer dúvida…

As palavras de um homem deveriam testemunhar não só da verdade que ele transporta dentro de si, mas também do seu grau de compreensão e realização.

Paramahansa Yogananda

… pelos outros, mas acima de tudo, também e principalmente, por si mesmo, tendo em conta tudo o que somos levados a experimentar e a viver, pelo simples facto de estarmos aqui encarnados, neste tempo, neste espaço, enquanto seres humanos (e, mesmo se já se sabe que tudo passa, não é por isso que certas situações se tornam mais fáceis ou agradáveis, quando nos deixamos envolver por elas ou nos identificamos com os pensamentos e emoções que desencadeiam em nós)… É preciso também saber Amar-se a si mesmo, ter auto-Compaixão, Perdoar-se a si mesmo… O que podemos dar aos outros, não é propriamente aquilo que temos, mas sim aquilo que SOMOS

Tu, tu mesmo, tanto quanto qualquer pessoa em todo o universo, mereces o teu amor e carinho.

Buda



 

Para quem não está habituado a fazer este exercício de auto-análise e não sabe bem por onde começar, eu recomendo sempre começar exactamente a partir de onde se encontram neste preciso momento (já me conhecem, sou fã do bom-senso, para quê complicar algo que pode ser simples?!) e colocar o vosso olhar e compreensão actuais sobre a influência que as causas do sofrimento (kleśa क्लेश) têm sobre vós ou a vossa vida, e também sobre a importância da prática dos princípios éticos e morais (yama यम) e das regras de disciplina pessoal (niyama नियम), na vossa relação convosco mesmos, com os outros, com o mundo à vossa volta, de forma a desenvolver o vosso Discernimento (viveka विवेक). São temas que abordei exaustivamente, principalmente ao longo dos últimos quatro anos, se realmente for essa a vossa intenção de se debruçarem sobre eles, não tenho dúvidas que encontrarão nas Newsletters mais antigas, muito “pano para mangas”, capaz de trazer mais Luz sobre a questão…

Não podes voltar atrás e mudar o princípio, mas podes começar onde estás e mudar o fim.

C.S. Lewis



 

Porque, no final, o que terá um verdadeiro impacto em vós e na vossa vida, servindo de catalisador se decidirem colocar a intenção firme e definitiva de libertar o vosso verdadeiro potencial e colocar a vossa , a vossa energia, a vossa memória e toda a vossa força espiritualao Serviço da vossa Alma e do vosso Dharma (svadharma), não tem nada a ver com aquilo que digo, escrevo ou partilho presencialmente, mesmo que isso vos pareça inspirador a curto ou médio prazo O que muda efectivamente e de forma duradoura a nossa maneira de ver e estar na Vida, nunca é o que nos chega de fora, aquilo que vemos, ouvimos ou lemos, mas sim aquilo que ressoa em nós e espontaneamente brota de dentro para fora, empurrado pela Frequência da Verdade, pela voz do nosso Coração! Quando isso nos acontece (diria mesmo de forma divina), é importante não deixarmos que o medo, os apegos e as repulsas ou o ego, tomem novamente os comandos do nosso corpo, da nossa mente, da nossa consciência… Nesses instantes, é essencial que nos autorizemos a deixar cair os véus da ilusão e da ignorância e que façamos o esforço de colocar em prática os princípios que queremos ver manifestados no mundo, pois só o conhecimento que é posto em prática, vivido, experimentado e realizado, transporta em si o germe da Sabedoria. Ninguém é perfeito e aprendemos todos por tentativa e erro, cada um fazendo o melhor que pode, com as ferramentas que tem disponíveis… Tudo o resto, é conversa…

Estou demasiado consciente das imperfeições da espécie a que pertenço para me irritar com qualquer membro da mesma. O meu remédio é lidar com o mal onde quer que o veja, não magoar o infractor, tal como eu não gostaria de ser magoado pelos erros que continuamente cometo.”

Mahatma Gandhi


 

SE…

Se és capaz de manter a tua calma quando

Todo o mundo ao teu redor já a perdeu e te culpa;

De crer em ti quando estão todos duvidando,

E para esses no entanto achar uma desculpa;

Se és capaz de esperar sem te desesperares,

Ou, enganado, não mentir ao mentiroso,

Ou, sendo odiado, sempre ao ódio te esquivares,

E não parecer bom demais, nem pretensioso;

Se és capaz de pensar – sem que a isso só te atires;

De sonhar – sem fazer dos sonhos teus senhores;

Se, encontrando a desgraça e o triunfo, conseguires

Tratar da mesma forma a esses dois impostores;

Se és capaz de sofrer a dor de ver mudadas

Em armadilhas as verdades que disseste,

E as coisas, por que deste a vida, estraçalhadas,

E refazê-las com o bem pouco que te reste;

Se és capaz de arriscar numa única parada

Tudo quanto ganhaste em toda a tua vida,

E perder e, ao perder, sem nunca dizer nada,

Resignado, tornar ao ponto de partida;

De forçar coração, nervos, músculos, tudo

A dar seja o que for que neles ainda existe,

E a persistir assim quando, exaustos, contudo

Resta a vontade em ti que ainda ordena: "Persiste!";

Se és capaz de, entre a plebe, não te corromperes

E, entre reis, não perder a naturalidade,

E de amigos, quer bons, quer maus, te defenderes,

Se a todos podes ser de alguma utilidade,

E se és capaz de dar, segundo por segundo,

Ao minuto fatal todo o valor e brilho,

Tua é a terra com tudo o que existe no mundo

E – o que mais – tu serás um Homem, ó meu filho!

Rudyard Kipling (tradução de Guilherme de Almeida)


E aqui, a maravilhosa tradução de Félix Bermudes,

divinamente declamada por João Villaret!


 


Que neste final de ano, cada um possa escolher sabiamente se prefere voltar-se única e exclusivamente para fora e entregar-se às distracções da época (ao som da Mariah Carey 😂) ou se, no meio das agitações externas, consegue encontrar momentos de Paz e Silêncio para reflectir humildemente sobre o Espírito do Natal, sobre os Espíritos do Cristo, sobre Quem É e o que faz aqui, agora… Que o Equilíbrio e a Harmonia possam ser os nossos companheiros de cada dia, durante esta época que nem sempre é fácil e que rapidamente se pode transformar numa montanha-russa emocional! Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ… Que possa haver Paz, para que possamos finalmente viver em Amor, Seres Divinos, Soberanos e Livres, que realmente somos… Porque JÁ SOMOS a Perfeição e a Felicidade (ānanda आनन्द) que tanto procuramos fora de nós, que possamos autorizarmo-nos a manifestá-las alegremente em nós e à nossa volta, através dos simples detalhes da Vida…

Se Deus pode fazer a sua obra através de mim, Ele pode fazer a sua obra através de qualquer pessoa.”

Francisco de Assis



 

Como sempre, deixo-vos a minha mais profunda e sincera GRATIDÃO pela vossa leitura e atenção e peço-vos que, como de costume, acolham apenas o que ressoa convosco e coloquem de parte tudo o resto, já que tudo o que partilho convosco é apenas o fruto dos meus próprios questionamentos, experiências de vida, compreensões e integrações alcançadas através dos ensinamentos do Yoga, da minha própria prática espiritual e do meu sādhana (साधन). Com todo o meu AMOR e REVERÊNCIA, desejo-vos coragem, bons questionamentos e boas práticas… Dentro e fora do tapete! Para que um dia, possamos ver no mundo, a mudança que ocorre em nós através do Yoga!

Namaste 🙏💜✨ Rita


 

ॐ लोकाः समस्ताः सुखिनो भवन्तु

ॐ शान्तिः शान्तिः शान्तिः॥

Oṁ lokā samastā sukhino bhavantu

Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ

Oṁ

Que todos os seres, em todos os lugares, sejam felizes.

Que haja Paz, Paz, Paz.


 

Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei de mim um instrumento da Vossa paz.


Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvidas, que eu leve a fé. Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz.


Ó Mestre, fazei que eu procure mais: consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado. E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Comentarios


Los comentarios se han desactivado.
bottom of page