top of page
Rechercher
  • Photo du rédacteurRita

Janeiro 2024

O nosso maior esforço deve ser o de desenvolver seres humanos livres que sejam capazes, por si próprios, de dar um objetivo e uma direção às suas vidas. A necessidade de imaginação, um sentido de verdade e um sentimento de responsabilidade - estas três forças são o próprio nervo da educação.

Rudolf Steiner

Queridos alunos e amigos ✨,


Espero que tenham passado umas Boas Festas de final de ano e que se sintam prontos e com Energia suficiente para acolher o Novo Ano ✨ que se apresenta.

 

ॐ 


Em JANEIRO, o Shala🪷🍃 REABRE na terça-feira,02/01/2024.  



O horário vai manter-se o mesmo do ano passado, no entanto, a aula da quarta-feira de manhã encontra-se agora em “período de teste” neste início de ano (em que as resoluções do novo ano ainda estão frescas e a prática de tapas [तपस् esforço sobre si mesmo] está mais forte), para vermos se realmente vale a pena manter esta aula que teve tão pouca adesão ao longo dos últimos meses. Já sabem como funciono, se faz sentido para vocês, faz sentido para mim, mas se não vos faz sentido que haja aula também à quarta-feira de manhã, porque não podem ou não querem praticar no Shala🪷🍃 mais do que duas ou três vezes por semana, então para mim está tudo bem à mesma e eu liberto o meu tempo e a minha energia para outras coisas!  


🙏🧘‍♀️🧘‍♂️🙏


 


Na Quinta-feira, 11/01, o Shala🪷🍃 estará ENCERRADO de manhã, mas à tarde, temos encontro marcado entre as 17h30 e as 19h00, para um pouco de conversa (satsaṅga), respiração consciente (prāṇāyāma प्राणायाम) e meditação (dhyāna ध्यान), para aqueles que sentem o apelo de estar presentes nestes encontros que abordam as outras facetas do Yoga e da Espiritualidade, além do āsana (posturas आसन).


ॐ 


Na Quinta-feira, 25/01, o Shala🪷🍃 estará ENCERRADO. Para “compensar”, na Quarta-feira, 24/01, para além da aula da manhã, haverá excepcionalmente também aula à tarde, entre as 17h30 e as 19h30, para quem possa e queira vir. Assim, nessa semana, teremos aulas de manhã e à tarde, na segunda (22/01), terça (23/01) e quarta-feira (24/01).

 

 

Relembro que o Padma Yoga Shala🪷🍃 está ENCERRADO às sextas-feiras, fins-de-semana e alguns feriados.

 

🧘‍♀️💜🧘‍♂️


 


 

MUITO IMPORTANTE

Por favor, verifiquem sempre, quando entram ou saem do Shala🪷🌿, que a porta do prédio fica FECHADA. Isto é particularmente importante nos dias de muito vento, em que a porta tem tendência a não fechar completamente... Verifiquem também, por favor, que a porta do primeiro andar, onde deixam os sapatos, não fica trancada depois de entrarem!! 🙏 💜 !! Muito Grata !! 💜 🙏


 


“A vida apresenta constantemente a maior oportunidade brilhantemente disfarçada de maior desastre.

David Icke


À medida que o tempo vai passando e que vamos avançando no nosso percurso e prática espiritual (sādhana साधन), vamos constatando que esse percurso pode assemelhar-se a uma espécie de “escada disforme” em que cada degrau ou patamartem uma altura e largura diferentes, sem que pareça haver uma lógica associada a essa diferença de dimensões. É verdade que gostaríamos que fosse uma bela escadaria, bem linear e contínua, mas na realidade, por vezes damos connosco face a um degrau que nos parece simplesmente intransponível, de tal maneira os desafios, os obstáculos e as surpresas (mais ou menos agradáveis) se sucedem, criando situações na nossa vida que, para além de nos impedirem de avançar tranquilamente, também testam a nossa capacidade a manter a Paz no meio do caos… De certa forma, ao longo do nosso caminho e prática espiritual e através dos diferentes obstáculos que se vão manifestando, estamos constantemente a ser testados. É assim que podemos verificar se realmente integrámos, em cada uma das nossas células, as lições e iniciações espirituais precedentes ou se, pelo contrário, se encontram ainda no estado da teoria (e, nesse caso, de pouco nos servem, porque na via espiritual, o “faz aquilo que eu digo, não faças aquilo que eu faço”, nunca, mas nunca é a resposta certa…). 

 

 


Yogasūtra I.30

व्याधिस्त्यानसंशयप्रमादालस्याविरतिभ्रान्तिदर्शनालब्धभूमिकत्वानवस्थितत्वानि चित्तविक्षेपास्तेऽन्तरायाः॥३०॥ 

 

vyādhistyānasaṃśayapramādālasyāviratibhrāntidarśanālabdha-bhūmikatvānavasthitatvāni cittavikṣepās te ‘ntarāyāḥ ॥30॥

 

« A doença, a inércia mental, a dúvida, a precipitação, a preguiça, a intemperança, o erro de julgamento sobre si mesmo, a falta de progresso, a regressão são os obstáculos, causas de dispersão psíquica. »




 

Cada degrau constitui um patamar de Realidade e de Consciência, e, se alarga o nosso campo de visão, também vem muitas vezes com o seu lote associado de desafios, através dos quais vamos desenvolvendo competências espirituais (e não só) e adquirindo novas “ferramentas” que normalmente se revelam como sendo extremamente úteis, quando iniciamos a subida dos degraus seguintes. Para alguns de nós, os últimos anos (e mais especificamente este último ano de 2023, tão exigente a todos os níveis…) têm sido uns desses degraus repletos de obstáculos manifestos de diferentes formas e, muito provavelmente, se não fosse a Fé inabalável que temos dentro do nosso Coração, muito provavelmente já teríamos desistido de continuar a avançar… Mas como avançamos com a e o Amor que nos confere Deus dentro no nosso Coração, por muito difíceis que sejam os obstáculos, mais tarde ou mais cedo, lá acedemos ao degrau superior e aí paramos muitas vezes durante um período de tempo, mais ou menos longo, para descansar e recuperar as nossas forças e um pouco de energia vital. Mas, como tudo em nós e à nossa volta tem vindo a acelerar e a nossa evolução espiritual não é uma excepção, é muito possível que às vezes nem sequer tenhamos tempo para descansar e que tenhamos a sensação de estar permanentemente a ser “testados”… Assim que conseguimos libertarmo-nos da influência de uma onda que nos enrola e nos faz perder a noção do tempo e do espaço e chegamos à superfície para respirar profundamente e já outra onda se sucede (e, por isso é que é tão, mas tão importante manter os olhos bem abertos ao que está a acontecer à nossa volta, para ver e antecipar a “próxima onda”)… 

 

É muito fácil conformarmo-nos com o que a sociedade ou os nossos pais e professores nos dizem. Essa é uma forma segura e fácil de existir: mas isso não é viver. Viver é descobrir por si próprio o que é verdadeiro.

Jiddu Krishnamurti



 

Nestes tempos tão intensos em todos os níveis, é de extrema importância não nos identificarmos nem com o que “nos” acontece, nem tão pouco com os pensamentos e emoções que resultam desses acontecimentos, nem com o que os outros esperam de nós, de forma a evitar a tendência a sentirmo-nos “vítimas” dos outros ou desses eventos e a abrir mão da nossa Soberania Pessoal. E sim, eu sei que é mais fácil dizê-lo que fazê-lo, principalmente quando ficamos doentes ou sofremos acidentes, quando as pessoas que amamos sofrem acidentes, ficam doentes ou fazem a sua transição, quando vivemos dificuldades físicas ou materiais… É tão mais fácil encontrar um “bode expiatório” e colocar sobre ele a responsabilidade do nosso sofrimento. Mas essa não é e nunca será a solução, porque não corresponde à Verdade! Nós somos os únicos responsáveis de tudo o que vivemos e devemos assumir voluntariamente essa responsabilidade, de forma a poder continuar a evoluir e transmutar assim todas as nossas partes de sombra, para continuarmos a aproximarmo-nos da Luz, da Verdade e dos Valores Mais Elevados que queremos encarnar no nosso dia a dia e ver assim manifestados no mundo!

 

Se achas que já estás iluminado,

vai passar uma semana com a tua família.

Ram Dass



 

Confesso que não me surpreendeu a dificuldade e a exigência deste ano que chegou ao fim. Não quero dizer com isso que me foi “menos difícil” vivê-lo ou testemunhar o que viveram as pessoas à minha volta, porque não foi! É um esforço constante para mim, manter a minha empatia em níveis aceitáveis para conseguir ser apenas uma Testemunha Compassiva, quando vejo alguém a praticar com imensas dores, quando alguém perde um ser querido, quando estão doentes ou partem um braço ou um pé, quando perdem o emprego ou são injustamente acusados de algo que não fizeram (e sim, tudo isto foram coisas que aconteceram este ano a pessoas que frequentam o Shala🪷🍃 ou aos seus entes próximos e eu também me incluo no grupo…)! Só através da não-identificação com meus pensamentos e emoções, através da maestria sobre as agitações existenciais e flutuações da minha mente, consigo manter o foco e a concentração que me permitem continuar a avançar em frente, sempre em frente, independentemente de tudo… Manter a Paz, no meio do caos… É isso, o Yoga… 


 

Yogasūtra, I.2

योगश्चित्तवृत्तिनिरोधः॥२॥ 

yogaś cittavṛttinirodhaḥ 2

 

« O Yoga é a paragem dos movimentos da consciência [da agitação existencial]. »




 

Consigo sempre? É óbvio que não… Como qualquer um de vós, eu estou “a caminho”, ainda não cheguei ao destino… 

Quando perco o “fio à meada”, o sūtra (सूत्र), limito-me a voltar atrás, ao ponto exacto onde estava quando me dei conta que perdi o “fio” e sento-me aí, sozinha e em silêncio (quando possível), com tudo aquilo que é, de bom e de menos bom, deixando vir à superfície tudo o que precisa ser visto sobre mim e sobre o que me rodeia… E aí fico, apenas eu e Deus dentro do meu Coração, o tempo que me seja necessário, lavando muitas vezes a dor através das lágrimas, até que mais nada se manifeste, até que a poeira assente e que a clareza de pensamentos e emoções possa finalmente regressar. É um tempo de Perdão. É um tempo de Compaixão. É um tempo de Desapego. É um tempo de Amor-Próprio. É um tempo necessário e são tão poucos aqueles que se autorizam a vivê-lo, infelizmente… 

 

Você está no comando da sua vida na mesma medida em que assume a responsabilidade pelos seus pensamentos.

Earl Nightingale




 

Desde 2020 que tinha vindo a sentir que estávamos apenas no início de algo que iria continuar a crescer exponencialmente ao longo dos anos seguintes (lembram-se, tinha-o dito igualmente aqui, através da música de Edvard Grieg!). Sentia que todos seríamos empurrados ao limite das nossas capacidades de percepção e sensoriais, que era tempo de sermos inequivocamente confrontados com as limitações dos nossos modos de vida, da nossa sociedade, das prioridades dos nossos “governos”, da “ciência e dos especialistas”, dos ditos “pilares da sociedade”, dos sistemas de “justiça”, de “saúde”, de “educação”, que de justos, saudáveis ou educativos só têm o nome e nada mais…  Sentia que, de dentro para fora, viria uma vontade indomável e inabalável de romper com tudo o que já não nos serve, mudar de vida, construir novos paradigmas e procurar um maior alinhamento com a Verdade, em plena Consciência. A bifurcação seria inevitável entre aqueles que dariam prioridade apenas ao mundo material e os que fariam a escolha de viver plenamente a sua espiritualidade, trazendo o sagrado para cada aspecto da sua vida quotidiana. Cada um avançaria a partir do sítio onde estava e à velocidade das suas próprias capacidades. Nenhuma pessoa é igual, assim como nenhuma “escada” é igual e nem pessoas nem vidas podem ou devem ser comparadas, sob qualquer pretexto. No entanto, quando temos a Coragem de abrir o nosso Coração e partilhar com sinceridade as nossas experiências mais ou menos difíceis, mais ou menos dolorosas, assim como a forma como aprendemos a lidar com elas e as ferramentas que utilizámos, descobrimos ou criámos para fazer face aos desafios, podemos descobrir que não estamos e nem nunca estivemos sós e encontrar inspiração através das experiências dos outros ou da Sabedoria que manifestaram enquanto as viviam… Não há dúvida que o caminho do Yoga e do auto-Conhecimento é um caminho muitas vezes solitário, que ninguém pode caminhar por nós! Mas não há erro maior que o de acreditar que caminhamos efectivamente sós, que somos pequenos, insignificantes ou que estamos isolados e que não fazemos a “diferença” no mundo… O que somos, o mundo é… Se queremos mudar o mundo, é de dentro para fora que a mudança terá de vir… E isso começa com a clareza e a firmeza da nossa Intenção, do nosso Consentimento e da nossa Autoridade! Quem escolhemos colocar no altar do nosso Coração

 

A nossa sociedade é gerida por pessoas loucas com objectivos loucos. Penso que estamos a ser dirigidos por maníacos para fins maníacos e penso que estou sujeito a ser internado como louco por expressar isto. É isso que é insano.

John Lennon



 

Assim, para 2024 e como já vem sendo costume há vários anos, desejo-vos essencialmente que nunca percam a vontade de continuar a trabalhar sobre vós mesmos para libertartudo aquilo que já não serve a Expressão Mais Elevada da vossa Alma, e assim permitir a revelação da vossa Verdadeira Essência! Que a VERDADE possa sempre ser o vosso motor…


ॐ 


Em 2024, espero que possam continuar a encontrar e desenvolver as estratégias mais adaptadas aos vossos ritmos e necessidades pessoais (se não o fizeram já), para continuarem a cuidar de vós mesmos, a todos os níveis e com consciência, com zelo, gentileza e muito, muito AMOR

 

 


Em 2024, desejo a cada um de vós, a Força e a Coragem necessárias para manter e respeitar as prioridades estabelecidas no início do ano, quando a vontade de cuidar de vós ainda está presente, para que não acabem abandonadas ou esquecidas ao fim de apenas alguns dias ou semanas, como tantas vezes acontece, assim que o ritmo quotidiano se torna mais exigente e que resvalamos uma e outra vez no sacrifício, esquecendo assim de honrar o DIVINO dentro de nós…  


 


Que em 2024 possam viver uma vida mais saudável, uma vida que respeita os vossos próprios ritmos e necessidades pessoais, uma vida com sentido, uma vida em alinhamento com os VALORES ÉTICOS Mais Elevados que querem ver manifestados no mundo, já que apenas isso poderá trazer maior harmonia e criar maior EQUILÍBRIO entre o vosso mundo interior e as solicitações exteriores.  


ॐ 


Que 2024 possa ser um ano em que se autorizam a aprender ou aperfeiçoar a arte de escutar e confiar na vossa intuição, na voz do vosso Coração, nas necessidades da vossa ALMA, de modo a reforçar a vossa Integridade e Força física, psicológica, emocional, espiritual e também ética e moral.




 

Que 2024 possa ser o ano em que se reconhecem como Seres DIVINOS, SOBERANOS, LIVRES, capazes de encarnar a Consciência de Unidade e viver em União (yoga योग) com todas as formas de Vida Orgânica… Nós já somos Sat-Chit-Ānanda (सच्चिदानन्द), a Verdade da Essência Pura, Eterna e Imutável, a maravilha alegre de estar e ser efectivamente Consciente do Divino dentro do nosso Coração e a Felicidade única que brota dessa mesma Consciência, que nada, nem ninguém nos pode roubar…E somos isso SEMPRE, mesmo e também nos momentos difíceis!Assim, a próxima vez que a vida vos trouxer desafios, em vez de fecharem o vosso Coração a vós mesmos e aos outros, em vez de se isolarem do mundo, experimentem vivê-los com o Coração aberto, acolhendo com GRATIDÃO aquilo que os vossos olhos ainda não vêem e aquilo que a vossa mente ainda não compreende, porque quando finalmente subirem esse degrau e o vosso campo de visão se tornar finalmente mais amplo e alargado, tudo voltará a fazer sentido e poderão relembrar que afinal não estavam sós, porque Deus nunca deixa de existir no altar do vosso Coração, se essa for efectivamente a vossa vontade…  

 

Cultiva o hábito de estar grato por cada coisa boa que te chega e de agradecer continuamente. E porque todas as coisas contribuíram para o teu progresso, deves incluir todas as coisas na tua gratidão.

Ralph Waldo Emerson




 

Que em 2024 possam sempre lembrar-se que JÁ SOMOS tudo aquilo que tantas vezes procuramos fora de nós, para que os vossos Corações nunca, nunca mais voltem a fechar-se sob o peso da dor, do cansaço ou do desânimo… Se escolhemos fechar o nosso Coração, como pode o Divino exprimir-se, já que a sua manifestação apenas pode acontecer de dentro para fora?… Que em 2024 nada, absolutamente nada vos faça hesitar no momento de escolher entre o medo e o AMOR! Para que a Paz seja uma constante, mesmo e principalmente no meio do caos, porque a outra “opção”, nunca é verdadeiramente uma opção… 

 

O amor expulsa o medo, mas inversamente, o medo expulsa o amor. E não só o amor. O medo expulsa também a inteligência, expulsa a bondade, expulsa qualquer pensamento de beleza e de verdade.

Aldous Huxley


🍃🪷!FELIZ 2024!🪷🍃


 

A paz sem vencedor e sem vencidos… 

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Que o tempo que nos deste seja um novo

Recomeço de esperança e de justiça

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos


Erguei o nosso ser à transparência

Para podermos ler melhor a vida

Para entendermos o vosso mandamento

Para que venha a nós o vosso reino

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos


Fazei Senhor que a paz seja de todos

Dai-nos a paz que nasce da verdade

Dai-nos a paz que nasce da justiça

Dai-nos a paz chamada liberdade

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos

 

Sophia de Mello Breyner Andresen,

“Em Memória” (1972) in Dual



 


Como sempre, deixo-vos a minha mais profunda e sincera GRATIDÃO pela vossa leitura e atenção e peço-vos que, como de costume, acolham apenas o que ressoa convosco e coloquem de parte tudo o resto, já que tudo o que partilho convosco é apenas o fruto dos meus próprios questionamentos, experiências de vida, compreensões e integrações alcançadas através dos ensinamentos do Yoga, da minha própria prática espiritual e do meu sādhana (साधन). Com todo o meu AMOR e REVERÊNCIA, desejo-vos coragem, bons questionamentos e boas práticas… Dentro e fora do tapete! Para que um dia, possamos ver no mundo, a mudança que ocorre em nós através do Yoga!

Namaste 🙏💜✨ Rita


 

ॐ लोकाः समस्ताः सुखिनो भवन्तु

ॐ शान्तिः शान्तिः शान्तिः॥

Oṁ lokā samastā sukhino bhavantu

Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ

Oṁ

Que todos os seres, em todos os lugares, sejam felizes.

Que haja Paz, Paz, Paz.


 

Oração de São Francisco de Assis

Senhor, fazei de mim um instrumento da Vossa paz.


Onde houver ódio, que eu leve o amor. Onde houver ofensa, que eu leve o perdão. Onde houver discórdia, que eu leve a união. Onde houver dúvidas, que eu leve a fé. Onde houver erro, que eu leve a verdade. Onde houver desespero, que eu leve a esperança. Onde houver tristeza, que eu leve a alegria. Onde houver trevas, que eu leve a luz.


Ó Mestre, fazei que eu procure mais: consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois é dando que se recebe. É perdoando que se é perdoado. E é morrendo que se vive para a vida eterna.



Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page