top of page
Rechercher
  • Photo du rédacteurRita

Julho 2024


O caminho do Yoga é longo; cada centímetro de terreno deve ser conquistado contra grande resistência, e não há qualidade mais necessária para o sādhaka [साधक - praticante de Yoga] do que a paciência e uma perseverança constante, com uma fé que permanece inabalável através de todas as dificuldades, atrasos e aparentes fracassos.

Sri Aurobindo



Queridos alunos e amigos ✨,

Durante todo o mês de JULHO, o Shala🪷🍃 estará aberto e a funcionar normalmente nos seus dias e horários habituais, às segundas, terças e quintas-feiras, de manhã e à tarde.


Mais uma vez, relembro que, apesar de estar agora ENCERRADO às quartas e sextas-feiras, assim como aos fins-de-semana e alguns feriados (excepto datas excepcionais, sempre previamente assinaladas), o Shala🪷🍃 está sempre disponível em qualquer dia e qualquer hora, para os alunos que aí queiram fazer a sua auto-prática, como tem acontecido até agora.


🍃🪷 ॐ 🪷🍃


O mês de JULHO assinala igualmente o aniversário do PADMA YOGA SHALA🪷🍃, que celebra este ano os seus 7 ANOS de existência… Tem sido uma bela aventura ser testemunha do vosso crescimento dentro e fora deste espaço e um imenso privilégio crescer ao vosso lado, convosco, graças à vossa presença, entrega e dedicação a esta prática que é o Yoga! Os meus mais sinceros agradecimentos todos aqueles que contribuíram ao longo dos anos, de uma forma ou de outra, para que o PADMA YOGA SHALA🪷🍃 pudesse manter-se aberto, vivo, luminoso e ao Serviço do Divino, apesar dos inúmeros desafios e obstáculos encontrados desde a sua abertura! Muito, muito, muito Grata! 🙏


Como de costume, para assinalar de forma informal esta data especial, caso possam e queiram fazê-lo, proponho-vos um Satsaṅga e um pequeno convívio, no dia 2 de JULHO, entre as 17h30 e as 19h30 (em vez da aula da tarde habitual). 

  

🍃🪷🧘‍♀️💜🧘‍♂️🪷🍃


 


 



O mero descontentamento inquieto com a vida quotidiana não é preparação suficiente para o nosso yoga. Para ter sucesso na vida espiritual, é necessário um apelo interior positivo, uma vontade forte e uma grande estabilidade.”

Sri Aurobindo



No Yoga, como na vida, avançamos sempre a partir do “sítio” onde nos encontramos, no momento presente. É simplesmente um facto. Avançamos como podemos e com as ferramentas que temos à nossa disposição nesse instante. Nem mais, nem menos… 


Podemos obviamente deixar-nos inspirar por experiências semelhantes às nossas ou escolher confiar naqueles que, a partir de um acto generoso e altruísta se colocaram ao Serviço dos Outros e se dedicam a partilhar as suas experiências e integrações pessoais a a Sabedoria que delas emana, quando e se sentimos uma verdadeira ressonância com o que está a ser transmitido, mesmo se por vezes parecemos ser confrontados aos limites dos nossos sentidos e da nossa compreensão mental, e ficamos com a sensação de não sermos capazes de apreender toda a amplitude e subtileza dos ensinamentos que estamos a receber… No Tempo Divino e com a Ajuda Divina, quando estamos efectivamente prontos para a nossa metamorfose interior, tudo, absolutamente tudo acaba por se revelar!


O homem está atualmente preso na sua consciência superficial individual e conhece o mundo (ou melhor, a sua superfície) apenas através da sua mente e dos seus sentidos externos, interpretando a partir daí os seus contactos com o mundo. Através do yoga, pode abrir-se dentro dele uma consciência que consegue unificar-se com a consciência do mundo; ele torna-se diretamente consciente de um Ser universal, de estados universais, da Força e do Poder universais, de uma Mente, Vida e Matéria universais, e vive em relação consciente com essas coisas. Diz-se então que ele tem consciência cósmica.

Sri Aurobindo


 


No entanto, é importante nunca esquecer que cada ser é único, que cada experiência é única, que cada um de nós tem o seu próprio dharma e o seu próprio Karma, que a comparação com os outros é e será sempre um obstáculo e um entrave ao progresso da nossa evolução espiritual, que ninguém pode verdadeiramente dizer-nos o que fazer, como ou porque fazê-lo, pois essa vontade e essa aspiração não podem senão vir de dentro do nosso Coração! Só nós podemos realmente reconhecer e decidir qual é o caminho ao qual a nossa Alma aspira, e se estamos dispostos a acolher os inúmeros desafios e lições que inevitavelmente surgirão como consequência da nossa decisão, e também em quem confiamos para nos apoiar e acompanhar durante todo ou parte desse percurso. A nossa prática espiritual pode resultar num intenso e profundo processo de cura, se nos entregarmos a ela com uma fé inabalável e um abandono pleno ao Divino dentro do nosso Coração (ईश्वरप्रणिधान Īśvarapraṇidhāna).


O Divino dá-se àqueles que se dão ao Divino sem reservas e em todas as suas partes. A eles pertence a calma, a luz, a força, a felicidade, a liberdade, a imensidão, os cumes do conhecimento, os oceanos de ānanda [आनन्द Beatitude].” 

Sri Aurobindo


 


Mas… 


Estamos a fazer o melhor que podemos? Estamos a olhar para nós mesmos e para a forma como interagimos com os outros, com uma autêntica sinceridade, humildade e compaixão? Estamos a fazer o necessário para sair da nossa zona de conforto, apesar de todos os entraves manifestados pelas mais diversas condições exteriores ou interiores? Estamos a esforçar-nos para ir além dos nossos medos, apegos, repulsas? Para ir além do nosso ego e de uma vontade pessoal exclusivamente ao serviço dos nossos desejos, desalinhada do Divino? Somos capazes de reconhecer a que ponto podemos estar enredados na nossa ignorância, de forma a poder fazer o necessário para nos libertarmos dela? Estamos prontos para colocar o nosso esforço e disciplina pessoal, paciência, determinação e perseverança ao Serviço da Libertação da Consciência, leve o tempo que levar? Somos capazes de nos entregar ao nosso sādhana (साधन), à nossa prática espiritual, de forma dedicada, mas sem apego aos frutos das nossas acções?

Estamos dispostos a CRESCER?



Cada parte da natureza quer continuar os seus movimentos de outrora e recusa-se, na medida do possível, a admitir uma mudança e um progresso radicais, pois isso submetê-la-ia a algo de mais elevado do que ela própria e privá-la-ia da sua soberania no seu próprio domínio, no seu império separado. É isso que faz com que a transformação seja um processo tão longo e difícil.

Sri Aurobindo



 


Por vezes, esse crescimento manifesta-se igualmente por fora, à medida que o corpo físico e o corpo energético se vão libertando dos condicionamentos e da rigidez do corpo mental e dos traumas do corpo emocional e se vão re-alinhando com as aspirações profundas do corpo espiritual, do Coração e da Alma


Outras vezes, é apenas uma clara e inequívoca sensação interior e modificação de atitudes e comportamentos, que revela o imenso caminho percorrido através da nossa prática espiritual e a elevação da nossa consciência e a inevitável e consequente transformação de todo o nosso Ser, agora plenamente em alinhamento com o Dharma (धर्म), a Ordem Cósmica e ao Serviço Incondicional da Vontade Divina.


O próprio objetivo do yoga é uma mudança de consciência. É adquirindo uma nova consciência, ou revelando a consciência oculta do verdadeiro ser interior e manifestando-a progressivamente, tornando-a mais perfeita, que alcançamos primeiro o contacto e depois a união com o Divino.

Sri Aurobindo



 


Quando somos verdadeiramente sinceros e honestos connosco mesmos e nos posicionamos a partir de um espaço neutro de Amor e Compaixão, simplesmente enquanto testemunhas de nós mesmos, sem expectativas nem julgamentos, sem apegos ou repulsas, sem medos que nos empurrem para uma sensação de inferioridade, sem a arrogância do ego (ou do ego espiritual) que falsamente nos posiciona acima dos outros, podemos ver claramente onde nos encontramos, de onde viemos e para onde vamos. É apenas a partir daí que podemos escolher e decidir em consciência se queremos efectivamente honrar o Divino dentro do nosso Coração e de que forma podemos fazê-lo dia após dia, permitindo-lhe manifestar-se plenamente e incondicionalmente através de cada um dos nossos pensamentos, de cada palavra, de cada gesto, de cada acção ou comportamento.


A prática do yoga implica a vontade de ultrapassar todos os apegos e de se voltar unicamente para o Divino. O essencial no yoga é confiar-se à graça divina a cada passo, dirigir constantemente o pensamento para o Divino e oferecer-se, até que o ser se abra e seja possível sentir a força da Mãe [Divina] a atuar no ādhāra [आधार - suporte de meditação].”

Sri Aurobindo



 


Tudo isto de que vos falo aqui, não é apenas uma teoria que li nos livros ou que apreendi e memorizei com o meu corpo mental. Tudo isto é o reflexo da minha própria prática, experiência e integrações pessoais, da aspiração incondicional da minha Alma a unir-se com o Divino nesta e noutras vidas, que desencadeou esta busca espiritual que já se prolongou por metade da minha encarnação e que me trouxe até ao Yoga enquanto praticante há quase vinte anos, enquanto professora há mais de quinze e que me levou a abrir as portas do Padma Yoga Shala🪷🍃 há 7 ANOS. Gostava de vos dizer que foi um percurso fácil e agradável, mas a verdade é  que não foi e há momentos em que ainda é particularmente difícil e exigente, mesmo se hoje em dia, os obstáculos são removidos bastante mais facilmente e mais rapidamente do que no início. Este caminho do Yoga exigiu de mim uma fé inabalável, uma resistência além da minha própria imaginação e uma paciência inesgotável, que foram crescendo à medida que os anos iam passando e que a prática se ia tornando cada vez mais estável e firme. Posso, no entanto, afirmar sem sombra de dúvida, que foi um Caminho Orgânico, em alinhamento com o meu svadharma e o meu karma, apoiado e protegido pelas Forças Divinas e que estou imensamente grata por ter tido a oportunidade de o manifestar durante esta vida, ao escutar o que me ia sendo indicado pelo meu Coração, à medida que ia avançando!


Os caminhos do Divino não são os da mente humana; eles não se conformam com os nossos planos. Por isso, é impossível julgá-los ou decidir pelo Divino o que ele deve ou não deve fazer, porque ele sabe mais do que nós. Quando se admite a existência do Divino, parece-me que a verdadeira razão se une à bhakti [भक्ति - devoção] para exigir uma fé e uma entrega completas.

Sri Aurobindo



 


Com tudo isto, continuo a recomendar a prática de Yoga? Sem dúvida! Continuo a achar que todas as pessoas, independentemente da idade ou condição física, podem praticar Yoga e beneficiar da sua prática? Claro que sim! Mas (porque sim, existe um mas) apenas se estiverem prontos para o fazer de forma plena e consciente, aqui e agora, independentemente dos obstáculos, dos entraves, das dificuldades, sem apegos, sem expectativas… Porque não interessa quantas vezes caímos ou que parece que regredimos na nossa prática (dentro ou fora do tapete). O mais importante é saber porque o fazemos e continuar a fazê-lo, dia após dia, com resiliência e alegria (संतोष saṃtoṣa, o contentamento), ou pelo menos um sorriso, porque sabemos dentro do nosso Coração que não há, nem nunca haverá nada mais importante do que o facto de conseguir rasgar de forma definitiva e permanente os véus da ilusão, para poder libertar a nossa consciência das correntes da ignorância, do ego, do apego, da repulsa e do medo (de todos os medos!) e reconhecer assim a nossa Verdadeira Essência e Natureza Divina, Soberana e Livre


O caminho do yoga deve ser uma coisa viva e não um princípio mental ou um método fixo ao qual nos agarramos apesar de todas as variações que seriam necessárias.” 

Sri Aurobindo



 


Mas esta é apenas a minha opinião e o meu “trabalho” não é convencer quem quer que seja de que estou certa, de que tenho razão ou de que sei mais ou melhor que os outros. Não é aí que me posiciono. A essência do meu trabalho, enquanto parte integrante da minha prática espiritual, do meu sādhanā (साधन), é simplesmente manter-me ao Serviço. Ao Serviço da Ordem Cósmica (धर्म Dharma), ao Serviço da Vontade Divina, ao Serviço do Yoga, ao Serviço da Humanidade , ao Serviço do Plano Divino para a Libertação da Consciência para Todos e ao Serviço de todos aqueles que me escolheram, num momento ou noutro do seu percurso de vida, enquanto guia, enquanto professora, enquanto amiga ou enquanto companheira de prática. Esse e apenas esse, é o Espírito do Padma Yoga Shala🪷🍃… E estou muito Grata a todos aqueles que permitiram a sua existência ao longo destes (atribulados, mas muito divertidos…) 7 ANOS!


🙏🧘‍♀️💜🧘‍♂️🙏





O único trabalho que purifica espiritualmente é aquele que é feito sem motivos pessoais, sem procurar fama ou notoriedade ou honras mundanas, sem valorizar os seus próprios motivos mentais, exigências e desejos vitais ou preferências físicas, sem vaidade, sem querer impor-se de forma brutal ou procurar uma posição ou prestígio; é o trabalho feito apenas por amor ao Divino e a mando do Divino. Qualquer trabalho feito com um espírito egoísta, por muito bom que seja para as pessoas no mundo da ignorância, não serve para o aspirante ao Yoga.

Sri Aurobindo





 



Todas as fotografias dos meus filhos (antigas, realizadas no momento da inauguração do Padma Yoga Shala🪷🍃 e recentes) foram realizadas com a sua participação activa e publicadas com o seu consentimento, incluindo aquelas que poderiam deixá-los mais desconfortáveis, por não os “colocarem em valor”. Juntos concluímos que não teria encontrado melhor forma de exemplificar que as coisas nem sempre correm como gostaríamos e que, por vezes, damos connosco de “rojo pelo chão” e que por muito difícil que seja, é mesmo assim… A vida é mesmo assim e ninguém está imune às reviravoltas constantes. Às vezes, a vida “puxa-nos o tapete” por baixo dos pés e “estatelamo-nos” pelo chão… Não podemos fazer nada contra isso!




Mas…


Podemos escolher reconhecer que em todas as situações difíceis, há sempre algo a aprender


Podemos observar também que, muitas vezes, haverá algo que nos faz rir ou sorrir, se não na hora quando estamos sob tensão, talvez mais tarde, quando já integrámos as nossas lições e o sofrimento já se transformou em Sabedoria. A vida é sempre mais leve quando sabemos rir de nós mesmos, assim como quando sabemos rir com os outros (e não dos outros, como tantas vezes acontece neste mundo sem escrúpulos…)!


E, por fim, se estivermos realmente atentos ao que se passa em nós e à nossa volta, poderemos também constatar que, quando “caímos”, nunca estamos sós. Por muito que nos seja difícil reconhecê-lo quando estamos sob pressão e não sabemos sequer para onde nos podemos ou devemos virar, a Verdade é que há sempre um apoio, uma “mão” que ajuda a amparar a queda ou nos ajuda a levantar, se não nesta dimensão terrestre, noutros planos, tendo em conta que somos seres multidimensionais! Possamos todos e cada um de nós, autorizarmo-nos a escutar a voz do Divino dentro do nosso Coração, despir-nos das nossas certezas, dos nossos condicionamentos, das nossas limitações e dos nossos preconceitos e, com humildade, praticar a…


GRATIDÃO!




🍃🪷 ॐ 🪷🍃



धर्मो रक्षति रक्षितः ।

dharmo rakṣati rakṣitaḥ |


“O Dharma protege aquele que protege o Dharma.”





 



 

Escuto


Escuto mas não sei

Se o que oiço é silêncio

Ou deus


Escuto sem saber se estou ouvindo

O ressoar das planícies do vazio

Ou a consciência atenta

Que nos confins do universo

Me decifra e fita


Apenas sei que caminho como quem

É olhado amado e conhecido

E por isso em cada gesto ponho

Solenidade e risco


Sophia de Mello Breyner Andresen



 


Como sempre, deixo-vos a minha mais profunda e sincera GRATIDÃO pela vossa leitura e atenção e peço-vos que, como de costume, acolham apenas o que ressoa convosco e coloquem de parte tudo o resto, já que tudo o que partilho convosco é apenas o fruto dos meus próprios questionamentos, experiências de vida, compreensões e integrações alcançadas através dos ensinamentos do Yoga, da minha própria prática espiritual e do meu sādhana (साधन). Com todo o meu AMOR e REVERÊNCIA, desejo-vos coragem, bons questionamentos e boas práticas… Dentro e fora do tapete! Para que um dia, possamos ver no mundo, a mudança que ocorre em nós através do Yoga!



Namaste

🙏💜✨

Rita



 



ॐ लोकाः समस्ताः सुखिनो भवन्तु

ॐ शान्तिः शान्तिः शान्तिः॥

 

Oṁ lokā samastā sukhino bhavantu

Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ

 

Oṁ

Que todos os seres, em todos os lugares, sejam felizes.

Que haja Paz, Paz, Paz.



 


Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page