top of page
Rechercher
  • Photo du rédacteurRita

Outubro 2023

“Comecem sempre por pensar no que estão prestes a fazer e nas consequências que isso acarretará para vós. A liberdade não reside em acções impulsivas, porque estas são prejudiciais e amarram-vos pelos seus efeitos indesejáveis. Em contrapartida, as acções que o vosso discernimento considera boas são libertadoras. Este tipo de acções, inspiradas pela sabedoria, tornam a existência divina.”

Paramahansa Yogananda


Queridos alunos e amigos ✨,
 Em OUTUBRO, e muito provavelmente ao longo do ano 2023/2024, vamos manter o horário de Outono🍂, que acabou por se revelar o horário mais adaptado às necessidades de toda a comunidade do Padma Yoga Shala🪷🍃, muito além de toda e qualquer expectativa. Sinto-me particularmente feliz com este novo horário, pois depois de tantas mudanças, transformações e adaptações, tantas tentativas muito reflectidas e pausadas em busca de um horário “tão ideal quanto possível” para todos, parece que finalmente acertámos. Se até uma criança de 12 anos determinada e dedicada pode acolher este horário matinal cada dia, antes de ir para a escola, acho que posso afirmar que tudo é possível! Nas suas próprias palavras, impregnadas de Sabedoria (que possa ser uma sabedoria longa e duradoura! 😉🙏💜) :

Gosto muito de ir ao Shala🪷🍃 de manhã e vou começar a ir todos os dias… Porque nos dias em que vou praticar antes de ir para a escola, sinto-me muito mais feliz e parece que tudo me corre muito melhor! Os meus dias são mais felizes… Tomás B. 🧘‍♂️

No horário da manhã, haverá aulas de segunda a quinta-feira, das 7h00 às 9h00 e, para quem tem uma prática mais longa, recomenda-se a entrada o mais tardar até às 7h30. Quem quiser continuar a fazer a sua auto-prática além das 9h00, pode obviamente fazê-lo, como já acontecia anteriormente.

Para quem não pode, não gosta ou não quer praticar de manhã cedo, as aulas no horário da tarde vão manter-se às segundas, terças e quintas-feiras, das 17h30 às 19h30. Para quem tem uma prática mais longa, recomenda-se a entrada o mais tardar até às 18h00. Quem quiser continuar a fazer a sua auto-prática além das 19h30, também pode fazê-lo.

O Padma Yoga Shala🪷🍃 estará ENCERRADO às sextas-feiras, fins-de-semana e alguns feriados. Alguns dias por mês, sempre anunciados previamente, são dedicados ao ensino da respiração consciente, do prāṇāyāma (प्राणायाम - controlo do sopro e expansão da energia vital), da meditação (dhyāna ध्यान) e do aperfeiçoamento das posturas (āsana आसन) ou a conferências (satsaṅga) sobre os diversos ensinamentos do Yoga na sua globalidade.

Em OUTUBRO, o único dia “diferente”, será o

feriado de 5 de OUTUBRO, em que o Shala🪷🍃 estará ENCERRADO.


 


 

MUITO IMPORTANTE

Por favor, verifiquem sempre, quando entram ou saem do Shala🪷🌿, que a porta do prédio fica FECHADA. Isto é particularmente importante nos dias de muito vento, em que a porta tem tendência a não fechar completamente... Verifiquem também, por favor, que a porta do primeiro andar, onde deixam os sapatos, não fica trancada depois de entrarem!! 🙏 💜 !! Muito Grata !! 💜 🙏


 


Esquecemo-nos muitas vezes de que somos a natureza. A natureza não é algo separado de nós. Por isso, quando dizemos que perdemos a nossa ligação à natureza, perdemos a nossa ligação a nós próprios.

Andy Goldsworth

Com a chegada definitiva do Outono🍂, o fim das férias e o regresso ao trabalho e a todas as actividades do quotidiano, podemos muitas vezes sentir que estamos novamente “sob pressão” e, apesar de toda a nossa boa vontade, motivação e dedicação pessoal, pode por vezes ser difícil encontrar o tão desejado equilíbrio entre as inúmeras actividades que somos levados ou queremos realizar cada dia (e o mês de Outubro é sempre tão, mas tão difícil, de um ponto de vista energético e vibratório…). Esse tempo de adaptação, pode ser igualmente considerado como um período de observação, em que nos analisamos e verificamos se estamos em alinhamento com o nosso Verdadeiro Caminho Orgânico, com a nossa Missão de Vida, com o nosso svadharma, com a Expressão Mais Elevada da nossa Alma, com a nossa Natureza Essencial e Divina

Se forem guiados pela Consciência Divina, mesmo que o futuro pareça muito sombrio, tudo acabará por correr pelo melhor. Porque quando Deus vos guia, não podem falhar.

Paramahansa Yogananda


 


Esta é a época em que as árvores de folha caduca vêem as suas folhas mudar de cor e depois se despojam delas até à Primavera🌸 seguinte. Neste repouso sazonal, armazenam a energia suficiente que lhes será necessária para produzirem folhas maiores e mais desenvolvidas durante os meses mais quentes, para fazerem a fotossíntese. Existe nestes maravilhosos seres do Reino Vegetal, a consciência colectiva e a compreensão de que, por vezes, para fazer mais e melhor ao serviço do seu svadharma, mas também do Bem Comum, é preciso deixar para trás tudo aquilo que entrava esse mesmo processo e é preciso fazê-lo regularmente, dentro do Tempo Divino e respeitando a Ordem e Harmonia Divinas. Sem questionamentos, sem medos…

Exatamente como a árvore do outono que não sente o perder das suas folhas, nem quando a chuva, a geada e o sol lhe resvalam pelo tronco, e a vida se retira para o mais íntimo e recôndito de si mesma. Ela não morre. Espera.

Hermann Hesse



 

Nós, seres humanos, seres pensantes, seres conscientes, mas tantas vezes apenas ligados ao nosso corpo mental e pouco à escuta do que nos diz a nossa voz interna e a nossa intuição, que nos fala a partir do nosso Coração, ou mesmo simplesmente através dos sinais alarmantes que nos vão enviando os nossos corpos físicos, emocionais e espirituais, ainda não chegámos a esse ponto de Alta Inteligência, de buddhi (बुद्धि) e temos muitas vezes tendência a resistir ao que simplesmente é… E, ainda assim, continuamos a avançar, por vezes às cegas, por vezes em negação, por vezes sem verdadeiramente admitir que é possível que não saibamos bem por onde vamos ou que, através das identificações mentais criadas a partir dos kleśa (क्लेश), das causas de sofrimento, que são a ignorância (avidyā अविद्या), o ego (asmitā अस्मिता), o apego (rāga राग), a repulsa (dveṣa द्वेष) e a ansiedade existencial gerada pelo medo da morte (abhiniveśa अभिनिवेश), talvez nos estejamos a desviar do nosso verdadeiro Caminho Orgânico. Em vez de nos despojarmos daquilo que já não nos serve ou que está a entravar o nosso caminho, mais uma vez, mais um ano, escolhemos muitas vezes esvaziar em vez disso as reservas de (por vezes pouca) energia que acumulámos durante o Verão☀️ e as férias, tentando conciliar tudo, o obsoleto e o novo, o passado e o futuro, sem escutar verdadeiramente as nossas necessidades mais sinceras e profundas e à espera de melhores dias, em que todas as condições estejam reunidas e tudo se torne perfeito, sem grandes esforços da nossa parte…

Esqueça o passado, pois ele já não está nas suas mãos! Esqueça o futuro, porque ele está fora do seu alcance! Mas torne-se mestre do presente! Viva agora da forma mais irrepreensível possível! A escuridão do passado será então branqueada e o futuro será necessariamente luminoso! Este é o caminho do sábio.

Paramahansa Yogananda



 

Tudo, absolutamente tudo no Outono🍂 é naturalmente propício ao desapego e à libertação. Por outro lado, tudo, absolutamente tudo neste mundo invertido é artificialmente concebido para contrariar esse movimento natural não só da nossa energia pessoal, mas também da energia envolvente. Da forma como conseguirmos identificar, localizar e retirar essas distorções, estabelecendo as nossas prioridades e colocando a intenção de escutar as nossas necessidades interiores antes mesmo de atender a todas as solicitações externas, dependerá inevitavelmente a forma como chegaremos “lá à frente”, ao Natal, ao início do próximo ano civil, ao fim do ano lectivo, às próximas férias, à reforma, ao momento da nossa transição… Da forma como cuidamos dos nossos níveis de energia em todas as circunstâncias e também na nossa relação connosco mesmos, assim como nas nossas relações familiares, sociais, profissionais e, acima de tudo, com a nossa Essência e Consciência Divina, com Deus, dependerá a nossa Felicidade, a nossa Soberania, a nossa Paz Interior, a nossa Liberdade.

Aprendam a criar dentro de vós todas as condições para a felicidade, meditando e sintonizando a vossa consciência com a Alegria eternamente presente, consciente e nova que é Deus. A vossa felicidade nunca deve estar sujeita às influências exteriores. Qualquer que seja o ambiente em que se encontram, não deixem que ele afecte a vossa paz interior.

Paramahansa Yogananda



 

Mais uma vez, gostaria de voltar a relembrar que se “tudo é sofrimento”, como nos diz Patañjali, é da nossa responsabilidade pessoal fazer tudo o que está ao nosso alcance para evitar o sofrimento desnecessário, desenvolvendo a Sabedoria e o Discernimento, transformando os ensinamentos do Aṣṭāṅgayoga [oito membros do Yoga, os princípios éticos (yama), os princípios de disciplina pessoal (niyama), a maestria sobre o seu corpo através das posturas (āsana), o controlo do sopro e a expansão da energia vital (prāṇāyāma), a retracção dos sentidos (pratyāhāra), a concentração (dhāraṇā), a meditação (dhyāna) e a meditação profunda, estado contemplativo e de absorção meditativa (samādhi)] em ferramentas práticas capazes de facilitar a fluidez dos eventos da vida quotidiana e, ao mesmo tempo, aliviar a pressão das actividades do nosso dia a dia.

Yogasūtra II.15

परिणामतापसंस्कारदुःखैर्गुणवृत्तिविरोधाच्च दुःखमेव सर्वं विवेकिनः॥१५॥

pariṇāma tāpa saṁskāra duḥkhaiḥ guṇa-vṛtti-virodhācca duḥkham-eva sarvaṁ vivekinaḥ ॥15॥

« Para aquele que desenvolveu o discernimento, tudo é sofrimento, resultado da mudança, da ansiedade, dos condicionamentos e [ainda] das [manifestações] inadequadas da natureza . »

Yogasūtra II.16

हेयं दुःखमनागतम्॥१६॥

heyaṁ duḥkham-anāgatam ॥16॥

« O sofrimento que ainda não ocorreu deve ser evitado. »



 

É fácil?

Já se sabe que não é… Por vezes, temos a sensação de avançar sós e a contra-corrente num mundo que não compreendemos e que não nos compreende (e isso não é obrigatoriamente uma coisa má, tendo em conta o nível de ilusão e desconexão que constatamos à nossa volta quotidianamente). Interiormente, através da meditação e da consciência de que Somos Todos UM, sabemos que, na realidade, nunca estamos sós, sabemos que é possível realizar essa União (yoga योग) com o Divino dentro do nosso Coração e isso é, muitas vezes, o que nos permite continuar a avançar, sempre em frente, independentemente de tudo o que nos rodeia, de todos os ventos e marés que aparentemente se opõem às nossas escolhas, ao nosso Caminho Orgânico de regresso à nossa Verdadeira Essência.

Exteriormente, é verdade que é um imenso apoio, saber que existe um espaço onde podemos avançar juntos e cada um ao seu próprio ritmo, sentindo e vivenciando plenamente a Consciência de Unidade que fomos manifestando ao longo dos últimos anos, com um imenso respeito pela individualidade de cada um, assim como pela diversidade do grupo… Tal como o Tomás, também eu gosto muito de ir, de praticar, de aprender e de ensinar no Shala🪷🍃! 🙏✨🧘‍♀️✨🙏 Também eu me sinto muito mais feliz, por saber que criámos um lugar assim, fora do tempo e fora do espaço, e aproveito para vos agradecer de todo o meu Coraçãopela vossa Presença Shala🪷🍃 e, assim, por colaborarem na sua existência. Se em tempos sentíamos que éramos apenas ilhas, hoje talvez já possamos começar a acolher a possibilidade de talvez sermos um arquipélago

Tal como uma vela ilumina outra e pode iluminar milhares de outras velas, também um coração ilumina outro e pode iluminar milhares de outros corações.

Leo Tolstói



 

É pelo Amor que temos dentro dos nossos Corações, que o Yoga acontece, que a União com o Divino acontece, que a nossa Verdadeira Essência de Sat-Chit-Ānanda (सच्चिदानन्द) se revela e que os véus da ignorância se desfazem. É pelo Amor que encarnamos a cada dia que passa, da melhor forma que sabemos e conseguimos, que fazemos o percurso do “impossível, para o possível e, em seguida, para o fácil”, como dizia Srī Tirumalai Krishnamacharya. É pelo Amor que nos autorizamos a dar a nós mesmos que aprendemos a partilhá-lo em seguida de forma incondicional com os outros, sem qualquer influência dos kleśa (क्लेश). É pelo Amor que somos que nos tornamos Livres. É isso que o Yoga é… Liberdade (mokṣa मोक्ष)!

Depois de vos expor tudo isto, gostaria que se colocassem a seguinte questão : “Aqui e agora, neste preciso momento do meu caminho pessoal, neste momento de transformação, de bifurcação, segundo a minha personalidade e as minhas características, devo dedicar-me mais a uma prática constante ou ao desapego, para encontrar o equilíbrio na minha Vida, na minha prática de Yoga? Estou a fazer o suficiente? Estou a fazer demais? O que preciso corrigir para fazer bem, de forma justa e correcta, adaptada a Quem Eu Sou? O que preciso transformar, libertar, desapegar, para me reconhecer finalmente enquanto Ser Divino, Soberano, Livre?”…

Experimentem responder com Autenticidade, com Bondade, com Compaixão, com Amor e Reverência pelo Ser Divino que são e com Gratidão pelo percurso que percorreram até agora e continuam a percorrer cada dia. Façam-no sem qualquer tipo de julgamentos. E, em seguida, experimentem autorizar-se a agir em conformidade e verão que não só o mundo do Yoga, mas a própria Vida está repleta de “milagres” e de uma Beleza “escondida” (não tanto quanto isso) que melhor se revela quando reunimos certas condições, como o Amor, a Compaixão, o Perdão e a

Tudo o que compreendo, compreendo-o porque Amo. Tudo é e existe apenas porque Amo. Tudo está unido apenas pelo Amor, porque o Amor é Deus e Deus é Tudo.

Leo Tolstói



 

“Quando chega o inverno das provações, podem cair algumas folhas da árvore da tua vida. Isso é normal e não tem importância. Há que aceitá-lo e dizer: «Não tem importância, o verão voltará e a árvore da minha vida voltará a despontar». Deus deu às árvores a força interior para suportar os invernos mais rigorosos. Tu não és menos dotado. Os invernos da vida não existem para te destruir, mas para estimular em ti um novo entusiasmo para desenvolveres esforços construtivos que florescerão na primavera, nas novas oportunidades que inevitavelmente surgirão. É preciso que digas a ti mesmo: «Este período invernal da minha vida não vai durar. Vou livrar-me das garras destas provações e a árvore da minha vida voltará a tornar-se bela com as novas folhas e flores do aperfeiçoamento. E, uma vez mais, a ave do paraíso sentar-se-á nos ramos da árvore da minha vida».”

Paramahansa Yogananda



“Never, Ever Give Up. Arthur's Inspirational Transformation!”(também legendado em português do Brasil aqui)

 

Viver contente com poucos meios - procurar a elegância em vez do luxo e o requinte em vez da moda, ser digno, não respeitável, e próspero, não rico - estudar muito, pensar silenciosamente, falar gentilmente, agir francamente, ouvir as estrelas e os pássaros, os bebés e os sábios, com o coração aberto - fazer tudo corajosamente, aguardar as ocasiões - nunca ter pressa; numa palavra, deixar o espiritual, espontâneo e inconsciente, crescer através do comum. Esta será a minha sinfonia.

William Ellery Channing



 

Como sempre, deixo-vos a minha mais profunda e sincera GRATIDÃO pela vossa leitura e atenção e peço-vos que, como de costume, acolham apenas o que ressoa convosco e coloquem de parte tudo o resto, já que tudo o que partilho convosco é apenas o fruto dos meus próprios questionamentos, experiências de vida, compreensões e integrações alcançadas através dos ensinamentos do Yoga, da minha própria prática espiritual e do meu sādhana (साधन). Com todo o meu AMOR e REVERÊNCIA, desejo-vos coragem, bons questionamentos e boas práticas… Dentro e fora do tapete! Para que um dia, possamos ver no mundo, a mudança que ocorre em nós através do Yoga!

Namaste 🙏💜✨ Rita


 

ॐ लोकाः समस्ताः सुखिनो भवन्तु

ॐ शान्तिः शान्तिः शान्तिः॥

Oṁ lokā samastā sukhino bhavantu

Oṁ śāntiḥ śāntiḥ śāntiḥ

Oṁ

Que todos os seres, em todos os lugares, sejam felizes.

Que haja Paz, Paz, Paz.

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page